É preciso recomeçar

recomecar-ir-em-frente

A vida prega umas peças na gente e nos obriga a mudanças gigantescas de repente pra balançar com nosso mundo e nossas “certezas”. Assim acontece num término de relacionamento. Sem esperar (por estar desatenta aos sinais ou porque realmente não houve sinais) seu mundo vira de cabeça pra baixo e você parece ter desaprendido a viver sem ter sempre aquela pessoa pra quem correr tanto pra comemorar quanto nos momentos de aperto.

Então você precisa se (re)aprender, se (re)conhecer, mudar tudo de lugar pra poder colocar você mesma no lugar de novo. Você precisa recomeçar. É difícil, é doloroso e dá um trabalho danado. Mas no final das contas é isso que você precisa fazer. É a única coisa a fazer.

Sabe aquele negócio de solitude? Solitude, não solidão. Ficar na própria companhia e gostar disso, assistir séries que não assistia antes (Netflix salva corações), ler novos livros, buscar novas e antigas companhias, reencontrar pessoas, conhecer pessoas e reconstruir sua vida de uma maneira diferente e sem o outro ao seu lado.

No início não tem nada de solitude. É solidão mesmo. E é uma merda! Você começa a achar que não vai sobreviver, que seu coração vai ficar em pedaços pra sempre, que não tem conserto, que seria melhor, sei lá, morrer. É uma dor dilacerante! E alguns a sentem até de maneira física (eu senti).

Sim, você começa a achar que não vai melhorar nunca, que sua vida vai ser resumir a vagar por aí como zumbi. Você procura terapia, meditação, textos motivacionais, ombros amigos, terapias alternativas e nada (NADA) parece dar resultado.

Mas aos poucos, um dia depois do outro, você começa a notar que está acordando um pouco melhor. Você passa um dia sem chorar, depois dois. A pessoa que ocupava seus pensamentos o dia inteiro começa a já não te atormentar tanto assim. E você começa a soltar. Começa a se perdoar e a perdoar o outro.

De repente você se sente até feliz e começa a gostar de estar “sozinha”, começa a gostar da solitude e das possibilidades que ela te traz de se reencontrar consigo mesma, de se autoconhecer e de olhar pra dentro de uma forma que jamais faria se aquilo não tivesse acontecido. Você começa a pensar no término não como um fim, mas como uma oportunidade de crescimento tão incrível e maravilhosa que começa até a ser grata.

Claro que no meio disso tudo, alguns momentos ainda são ruins, mas começam a acontecer com bem menos frequência. E você começa a encontrar leveza na sua vida de novo. Começa a se abrir ao novo em todos os sentidos possíveis e a fazer novos planos sozinha. Dá pra viajar quando quiser, assistir ao que quiser e ler na hora que quiser. Não que isso não seja possível num relacionamento. É possível e desejável, mas a sensação é bem diferente.

A verdade é que as coisas são como são. Nós não temos controle de praticamente nada. Então porque lutar contra o fluxo da vida e as situações como se apresentam? Busquemos aceitar mais as coisas como são. Não de maneira passiva, mas de forma que possamos aprender com o que é e nos entregar ao que o Universo tem para nos oferecer de maravilhoso!  A vida é isso que está aí e podemos fazê-la incrível sempre!

Namastê!

🙂

 

Anúncios

Um comentário sobre “É preciso recomeçar

  1. Pingback: Links interessantes da semana #2 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s