[Vídeos] Trocando ideias: gratidão + TAG: melhores amigas

Oi, gente! Tudo bem?

Venho trazer os dois últimos vídeos que postamos no nosso canal do YouTube. No primeiro, falamos um pouco sobre gratidão:

No último, gravamos uma TAG onde falamos um pouco mais sobre nós e sobre a nossa amizade. Tá muito divertido! 😀

 

Esperamos que gostem! Comentem lá o que acharam! 🙂

Anúncios

Inspirações da semana [16]

-downloadfiles-wallpapers-3840_2160-love_heart_tree_fields_13391

Oi, gente! Tudo bem com vocês?

Vamos às nossas inspirações da semana?

Boa semana! 🙂

A gente nunca chega a conhecer uma pessoa

pessoas1-1

É isso mesmo: não conhecemos ninguém. E isso acontece, penso eu, por dois motivos principais.

Em primeiro lugar, estamos sempre (ou quase sempre) julgando as pessoas, seja positiva ou negativamente. Achamos que as conhecemos pelo que dizem ou fazem, acreditamos que seus comportamentos serão sempre os mesmos e que porque convivemos por X anos, já sabemos tudo que há para saber sobre o outro sem nos permitirmos nos surpreender.

Em segundo lugar, raramente nos damos conta (de verdade) que o ser humano está em constante construção e reconstrução de si mesmo. Estamos sempre mudando! Por vezes nos damos conta disso em nós mesmos, mas poucos são aqueles que dão o “direito” ao outro de mudar também.

Além disso, outro fator que agrava ainda mais nossa (falsa) percepção em relação ao outro é que por mais que se fale por aí em autoconhecimento, e que isso esteja até “na moda”, pouquíssimos são os corajosos que se permitem essa viagem… Que se permitem mergulhar dentro de si mesmos e começarem a separar o que é seu e o que é do outro.

Digo isso justamente por conta das projeções que estamos sempre fazendo. Não nos permitimos enxergar o outro porque apenas vemos nele aquilo que existe em nós. Por isso é tão relevante e urgente esse tal autoconhecimento: precisamos dele pra não projetarmos no outro tudo de ruim e difícil que há em nós.

Por isso é importante refletirmos sempre e não nos esquecermos que assim como nós, o outro também está em constante modificação de si mesmo. É preciso sempre respeitar o mundo do outro e é ótimo estarmos abertos a nos surpreender.

Namastê!

🙂

Inspirações da semana [15]

shutterstock_230488897

Oi, gente! Tudo bem?

Vamos nos inspirar?

  • Minimalismo: uma maneira mais feliz de viver ~ souminimalista
  • 6 atitudes para manter a positividade e o otimismo ~ Desassossegada
  • Como estar sempre em um “estado de felicidade” ~ Nowmastê
  • 6 dicas para aproveitar o resto do ano (sem se sentir um fracasso) ~ Desancorando
  • Domine a arte de viver no momento presente em 10 simples passos ~ Jardim do Mundo

🙂

Julgamentos

teste-comportamento-1415302820876_956x500

Acredito que um dos piores hábitos que adquirimos com o tempo foi o do julgamento.

Nunca estamos satisfeitos com o que nos acontece. Seja com as nossas ou com as atitudes das pessoas ao nosso redor, seja com o que a vida nos oferta; não importa: sempre encontramos motivos para julgar, sem percebermos que, dessa forma, não conseguimos realmente tirar real proveito das situações.

Lembre-se de alguma situação ruim que aconteceu com você nos últimos dias. Algo que te trouxe raiva, te chateou ou causou qualquer outro desconforto. Automaticamente, surge um sentimento incômodo e a sua mente já começa a trabalhar, julgando e acusando pessoas e situações.

Muitas vezes acreditamos que não temos controle sobre o que pensamos ou sentimos, principalmente em situações em que nos sentimos prejudicados de alguma forma. Acreditamos ainda que temos o direito de julgar e determinar culpados e inocentes (e geralmente acreditamos que somos esses últimos).

Agora, diante dessa mesma situação, perceba-se como um observador distante. Tente se retirar do seu papel de agente atuante e compreender o que ocorreu de forma imparcial, como se observasse esse momento acontecer com qualquer outra pessoa. Provavelmente alguma coisa mudou dentro de você.

Estamos a todo momento julgando o que nos acontece. Nos julgamos errados e nos menosprezamos; nos julgamos certos e menosprezamos alguém; julgamos merecer e nos entregamos a um sofrimento ou uma dor que chega. E isso nos coloca de formas diferentes diante da vida.

Sempre que alguma situação te trouxer sofrimento, tente se perceber como esse observador distante. Em vez de reagir ao que acontece, podemos escolher agir de forma consciente. Em vez de nos colocarmos como vítimas da vida, podemos optar por enxergar por novos ângulos.

Se alguém te magoou sem razão aparente, não reaja acusando-o. Às vezes deixamos que um pequeno aborrecimento tire a nossa paz e prejudique todo o nosso dia. Em vez de julgar, por que não tentar compreender?

Se algo não saiu como você esperava, por que não tentar aproveitar e agradecer até aquilo que te traz sofrimento? Se toda dor vem para nos auxiliar a crescer, podemos sempre buscar pelo menos uma razão para que ela exista em nós.

Julgue-se menos e compreenda-se mais. Se você agiu de alguma forma que não gostaria, o que pode fazer para mudar essa situação em vez de se culpar e carregar por tanto tempo o peso do arrependimento?

Quando nos retiramos emocionalmente de uma situação por alguns instantes, podemos percebê-la com novos olhares e somos capazes de lidar melhor com tudo o que nos acontece. Agindo de forma consciente, podemos escolher como trilhar o nosso caminho. E é isso que nos permite, efetivamente, crescer.

As coisas acontecem no momento exato

6be61ea4633c9c0c1244fb3fcda7c26c

Por favor, não se arrependa. Não se arrependa do que fez e das decisões que tomou. Elas aconteceram na hora exata em que precisavam acontecer. Seja para você viver algo realmente bom ou pra aprender alguma coisa.

Aquele momento em que você iniciou um relacionamento, em que terminou, em que decidiu parar de sofrer por algo do passado, que decidiu largar o emprego, sair de casa, se casar, ter um gato, um cachorro, filhos… tudo isso se deu no momento exato em que precisava se dar.

Não existe “se arrepender”, não existe achar que deveria ter sido da forma X ou Y. Simplesmente porque não foi. Foi como foi. É como é. E assim é a vida. Vamos dançando conforme a musica sem nos descabelarmos ou nos colocarmos na posição de vítimas das circunstâncias (por favor, não seja essa pessoa).

A gente tem mania de achar que tudo tem que ser do nosso jeito, na hora que queremos. No fundo somos todos crianças mimadas querendo dominar o “play”. Mas a vida não é um fábrica de realização de desejos (ouvi em um filme uma vez e achei genial). Estamos aqui para crescer, aprender, sofrer e, de alguma forma, sermos felizes no meio dessa bagunça toda.

Só não vale confundir, jamais, não se arrepender com não assumir as consequências pelos erros de percurso cometidos. Assim como tomamos decisões e atitudes, devemos tomar para nós também qualquer que seja nossa responsabilidade.

Então sigamos o baile da vida. Com amorosidade conosco mesmos, sem arrependimentos e com responsabilidade sobre o que fazemos e sentimos.

Namastê!

🙂

Escolha ser feliz!

blog_natureza-parque

Quem é você diante da vida? Sujeito ativo ou apenas espectador que observa os movimentos, sem ser capaz de efetivamente aprender as suas lições e se transformar?

Se olharmos para trás, veremos que estamos aqui por um grande número de acontecimentos que se seguiram ao longo do tempo.

Observe o seu passado. Como um observador distante, olhe para a sua infância, depois para a sua adolescência e, se for o caso, para a sua vida adulta. Tente se lembrar de algumas fases que você viveu, boas e ruins.

Atente-se, nesse momento, às fases ruins. Lembre-se de como você se sentiu enquanto vivenciava um momento difícil em qualquer âmbito da sua vida. Provavelmente você acreditava que a dor nunca iria passar e que ela não cederia lugar a alegria de viver novamente. E possivelmente isso aconteceu inúmeras vezes e você foi capaz de superá-las.

Agora, lembre-se de alguns momentos felizes. Das suas conquistas, dos momentos bons em que você esteve ao lado das pessoas que ama, dos dias em que acordou disposto sem nenhum motivo aparente e se deixou levar por esse sentimento ao longo de todo o seu dia…

Agora, olhe para você. Perceba-se no aqui e no agora. Quem é você hoje? Qual é o caminho que te trouxe até aqui?

Olhando para o seu passado, perceba como tudo aconteceu para que você se tornasse quem é hoje. Percebe como, apesar de todas as reviravoltas e transformações, tudo seguiu uma direção certa?

Aqueles momentos difíceis que pareciam não acabar, passaram. Dificuldades foram superadas e te fortaleceram. Você amadureceu. O caminho que parecia não ser o certo foi o que te trouxe até aqui, onde você está agora, permitindo ser exatamente quem você é.

mulher-feliz-que-aprecia-a-natureza_1098-1635

Por muitas vezes, enquanto vivemos momentos difíceis, nos esquecemos de toda a nossa jornada. Nos esquecemos do quanto as tristezas e decepções nos fortaleceram e mudaram a nossa percepção sobre a vida. Nos esquecemos de que até mesmo as alegrias passam, abrindo espaço para que novos sentimentos cheguem e nos transformem no melhor que podemos ser a cada momento.

Não somos os mesmos que éramos há um mês ou uma semana atrás, porque estamos constantemente nos construindo, e esse é um processo que irá continuar até o fim da vida. Os acontecimentos seguem um fluxo que por tantas vezes julgamos errado, e nos sentimos perdidos e sem direção. Tudo parece estar contribuindo para o nosso fracasso.

Sempre que se sentir triste ou perdido, repita esse exercício. Perceba o fluxo da vida. Perceba que você só chegou até aqui porque vivenciou os dois sentimentos: a alegria e a tristeza.

O olhar positivo torna a vida mais leve de ser vivida. Nos auxilia a enxergar que os momentos ruins são necessários para o nosso crescimento, até mais do que os bons. E que se nos entregarmos verdadeiramente a esse fluxo, nos permitindo sofrer e sorrir quando necessário, estaremos sempre nos fortalecendo e caminhando na direção do nosso aprimoramento.

Observe os acontecimentos do passado e do presente com um novo olhar e perceba que tudo depende da nossa forma de encarar o que nos ocorre. A escolha é sempre nossa.